Moro compara Bolsonaro a Lula e diz que os dois são ‘figuras extremas’

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2020 06h53 - Atualizado em 09/07/2020 08h00
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoSergio Moro deixou o ministério em abril após acusar o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, diz que não planeja disputar as eleições presidenciais em 2022.Em entrevista à agência de notícias France Presse, Moro afirmou que os desafios de 2020 são muito grandes em função da pandemia, e que o cenário para daqui dois anos é “absolutamente imprevisível”.  Segundo Moro, a meta agora é ingressar no setor privado em breve.

Sergio Moro deixou o ministério em abril após acusar o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal; à AFP, o ex-juiz da Lava Jato disse que não conseguiu avançar no combate à corrupção como gostaria enquanto estava no governo. O ex-ministro lembrou, porém, que a luta contra a criminalidade violenta e o crime organizado tiveram melhores resultados durante seu mandato.

Sergio Moro comparou Bolsonaro ao ex-presidente Lula, e destacou que ambos são figuras “extremas” que devem ser evitadas. “Ambos tem um caráter um tanto quanto populista nas formulações das políticas públicas, com a diferença é que o presidente Bolsonaro seria um populista de direita e o presidente Lula um populista de esquerda. De certa maneira, são dois extremos, na minhão opinião, a serem evitados”.

Sobre a ampliação da participação de militares dentro do governo federal, o ex-juiz disse que a presença deles não é necessariamente negativa. Moro acrescentou, no entanto, que os cargos não podem ser usados como posição de força, como está sendo feito atualmente pelo Palácio do Planalto.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini