Moro: Proposta do BC que muda regras de transações bancárias de parentes de políticos não está decidida

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2019 07h48 - Atualizado em 25/01/2019 09h11
EFEEm Davos, na Suíça, o ministro disse que a consulta foi feita pela gestão que está deixando o Banco Central, e não a do novo governo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse que a proposta do Banco Central que muda regras para vigiar transações bancárias de políticos e parentes ainda não está decidida. O órgão entrou com uma consulta pública para a proposta que tira a obrigação de todas as operações acima de R$ 10 mil serem notificadas ao Coaf.

Em Davos, na Suíça, o ministro disse que a consulta foi feita pela gestão que está deixando o Banco Central, e não a do novo governo. E reiterou que ainda não há uma decisão sobre o tema.

O presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, Marcos Camargo, afirmou que outras propostas colocadas em pauta são positivas, como aumentar o valor mínimo para os bancos informarem as transações ao Coaf. Mas criticou a que flexibiliza regras de controle para parentes de políticos.

Pela norma que está em vigor, pessoas tidas como politicamente expostas são monitoradas de forma mais rígida para evitar crimes como lavagem de dinheiro e desvio de verba pública.

Estão dentro deste critério: políticos dos Poderes Executivo e Legislativo federais, dos Tribunais Superiores do Judiciário e Tribunais de Contas, além de governadores e prefeitos.

*Informações do repórter Levy Guimarães