Morte de Marielle completa quatro meses e caso Amarildo faz cinco anos

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2018 09h35 - Atualizado em 14/07/2018 10h07
Fernando Frazão/Agência BrasilVereadora Marielle Franco foi assassinada por milicianos na zona norte do Rio de Janeiro

Um sábado triste. Marcante para a história do Rio de Janeiro. No mesmo dia completam aniversários datas de tragédias que chamaram atenção da cidade, do estado, do País e até mesmo do mundo. Neste sábado completa 4 meses da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL). Ela e o motorista Anderson Gomes foram assassinados em 14 de março, no bairro do Estácio, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Marielle estaria incomodando algumas pessoas em sua área de atuação na zona oeste. A vereadora defendia quilombolas e o fim da especulação imobiliária e dia desta posição começou a bater de frente com aqueles que queriam a expansão imobiliária . Essas pessoas, entre elas um miliciano que está preso, e, possivelmente o vereador Marcelo Siciliano (PHS), teriam arquitetado a morte da parlamentar.

Também neste 14 de julho de 2018 completa cinco anos da morte, do assassinato do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza. Ele foi visto pela última vez em 14 de julho de 2013 na comunidade da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro. Amarildo foi abordado, sequestrado, torturado e morto por policiais militares que atuavam nas UPP da Rocinha.

Até hoje a ossada de Amarildo não foi encontrada. Ao todo 25 PMs foram investigados, 13 condenados, sendo que um deles já havia morrido antes mesmo da pena.

Dos condenados, a maioria foi expulsa da PM. Mas há muitos que não foram julgados e aguardam em liberdade.

A família de Amarildo conseguiu o direito de receber uma indenização de R$ 3, 5 milhões, mas o estado recorreu e até agora a família não viu um centavo sequer.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga