Motorista que atropelou 17 em Copacabana não estava alcoolizado, diz laudo

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2018 08h51 - Atualizado em 19/01/2018 13h08
EFE/Andrea Usero Pessoas atropeladas por carro que invadiu calçadão e areia de Copacabana por volta das 20h desta quinta (18)

Exame de alcoolemia realizado com o motorista que atropelou 17 pessoas no calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro, e matou um bebê na noite desta quinta (18) mostra que ele não havia ingerido bebida alcoólica no momento do acidente.

Antonio de Almeida Anaquim falou com clareza e lucidez às autoridades. Ele passou a madrugada dando depoimento ao 12º Distrito Policial. O homem de 41 anos responderá por homicídio culposo em liberdade, já que não tentou fugir do local do atropelamento.

Antonio alega que sofreu um ataque epiléptico, tese mais forte adotada pela Polícia Civil carioca, que apura o ocorrido. A mulher que o acompanhava no carro também diz que ele teve um ataque de epilepsia e desmaiou.

Anaquim está com a carteira de motorista bloqueada após 14 multas nos últimos 5 anos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, das 16 vítimas, nove tiveram ferimentos mais graves. Destas, três foram liberadas na madrugada desta sexta (19) e seis permanecem internadas, uma delas, um turista australiano de 68 anos que sofreu traumatismo craniano e respira com a ajuda de aparelhos, em estado grave.

Entre os outros internados, há mais duas crianças.

A vítima fatal é a pequena Maria Louise, que tinha apenas 8 meses de idade.

Com informações do repórter Jovem Pan no Rio de Janeiro, Isaac Santos