Motoristas de aplicativos relatam queda de corridas e contas apertando

  • Por Jovem Pan
  • 31/03/2020 07h09 - Atualizado em 31/03/2020 08h33
DivulgaçãoA Uber informou que o motorista diagnosticados com coronavírus ou que tiverem quarentena solicitada por uma autoridade de saúde pública receberá assistência financeira durante 14 dias, enquanto sua conta estiver suspensa

Com o período de quarentena e isolamento imposto pelo avanço do coronavírus no Brasil, muita gente está fazendo home office, mas existem setores que não podem parar, como os motoristas de aplicativo, por exemplo.

Entre eles, os relatos são de intensa queda no movimento nas últimas duas semanas. Bruno Magalhães, de 30 anos, é motorista e tem a esposa grávida. Ele falou que mesmo com a queda de 80% dos clientes, vai continuar trabalhando.

Outro motorista que relatou a queda na movimentação foi Claudio Martinez, de 58 anos. Para ele, o fato de tudo parar pela quarentena, prejudica sua renda no final do mês.

Já Everton Diego, de 34 anos, fica em um ponto de táxi localizado na Bela Vista, em São Paulo. O motorista chegou a parar por uma semana, mas resolveu voltar ao trabalho.

Medidas das empresas

A 99 anunciou que vai pagar pelo menos R$ 300 ao motorista que for afetado pelo coronavírus. A empresa vai analisar a média dos ganhos diários do motorista no período de setembro de 2019 a fevereiro de 2020.

O valor cobrirá um período de 28 dias para quem testar positivo para a Covid-19 e 14 dias para quem for colocado em quarentena.

A Uber informou que o motorista diagnosticados com coronavírus ou que tiverem quarentena solicitada por uma autoridade de saúde pública receberá assistência financeira durante 14 dias, enquanto sua conta estiver suspensa.

A empresa calculará o valor do auxílio baseando-se nos rendimentos médios dos colaboradores durante os últimos seis meses.

*Com informações do repórter Victor Moraes