Motoristas não acreditam em acordo e permanecem na Régis Bittencourt

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2018 10h18
Diogo Patroni/Jovem PanCaminhões formam filas de 2 km nos dois sentidos da Rodovia Régis Bittencourt, em Embu das Artes

Mesmo após o acordo estabelecido com o governo federal, a greve dos caminhoneiros chega ao 9º e causa complicações por todo o País. Em São Paulo, a principal concentração acontece na Rodovia Régis Bittencourt, no município de Embu das Artes.

Os motoristas permanecem no acostamento da via e formam uma longa fila de quase 2 km nos dois sentidos da via, entre os km 278 e 280. A situação no local é de aparente tranquilidade, mas os grevistas afirmam que não devem arredar pé.

“Estou aqui por luta desse óleo, que está muito caro. Não dá mais. A gente viaja para ganhar R$ 600,00, nem isso às vezes, e se estourar um pneu acabou. O pessoal está lá negociando e vamos ver qual será a proposta e o que será decidido. Tem que ter uma solução e que o governo cumpra as promessas”, disse o caminhoneiro Alan Correia.

Já para Robson José dos Santos, que está no local desde a última terça-feira, a luta é de todos. “Tem que ter muito melhora. Não é só esses R$ 0,46 que eles estão dando. Não é isso o que a gente quer, a gente quer melhora para toda a classe.

*Com informações do repórter Tiago Muniz