Mourão avalia que Mandetta ‘cruzou a linha da bola’, mas defende o ministro no cargo

  • Por Jovem Pan
  • 15/04/2020 06h19 - Atualizado em 15/04/2020 08h18
Alan Santos / PRO vice-presidente da república, General Hamilton Mourão

Para o vice-presidente da república, General Hamilton Mourão, o ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta, ‘cruzou a linha da bola’ durante a entrevista concedida no último domingo (12).

Na ocasião, Mandetta criticou pessoas que estão afrouxando as regras de isolamento e mencionou aqueles que frequentam “padarias”, em referência ao presidente Jair Bolsonaro, que havia visitado um estabelecimento do tipo dias antes.

Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, Mourão afirmou que o ministro cometeu uma ‘falta grave’, mas que ainda pode ser superada. Na entrevista, o Vice-presidente da república defendeu o que chama de isolamento inteligente.

Ele lembrou que dos mais de 5 mil municípios do país, apenas cerca de 10% têm casos confirmados do novo coronavírus. Diante disso, segundo ele, seria possível isolar áreas maiores, impedindo a chegada da covid-19 e, ao mesmo tempo, garantindo o abastecimento da população.

O vice-presidente criticou aqueles que têm saído às ruas de grandes centros para pedir o fim das restrições impostas para evitar um aumento exponencial no número de casos.

Para o general Hamilton Mourão, quando a fase mais aguda da pandemia passar, o Brasil precisará gastar e se endividar para ajudar os desempregados e garantir a recuperação da economia.

Sobre a possível redução salarial de servidores públicos, ele lembrou que, eventualmente, o Governo pode ficar sem dinheiro, o que geraria, no âmbito nacional, situações que já ocorrem nos estados, com atrasos nos pagamentos dos vencimentos.

Em relação a utilização do dinheiro do fundo eleitoral pelo sistema de saúde, Mourão avaliou que a medida não resolveria o problema e que, na prática, inviabilizaria as eleições para prefeito e vereador, que, para ele, precisam ocorrer ainda neste ano.

O vice-presidente da república lamentou ainda que o combate ao coronavírus esteja sendo politizado e disse não criticar governador A ou B.

*Com informações do repórter Antonio Maldonado