Mourão diz que Lava Jato prossegue, mas que intensidade deve diminuir

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2019 06h58
Adnilton Farias/VPRMourão afirmou que as investigações vão perdendo força à medida que não há nada mais a ser "desnudado"

Em meio a questionamentos sobre o futuro da Lava Jato, o vice-presidente, Hamilton Mourão, disse nesta quinta-feira (19) que a Operação vai continuar, mas com menos intensidade. Durante evento com empresários em São Paulo, Mourão afirmou que as investigações vão perdendo força à medida que não há nada mais a ser “desnudado”.

O vice-presidente reconheceu a importância da ação ao expor os casos de corrupção no país. Para Mourão, no entanto, os políticos e executivos envolvidos já estão sendo punidos e as empresas deveriam voltar à ativa. “A empresa uma vez tendo pago o que deve, ela tem que retornar ao mercado. Principalmente as empresas ligadas a infraestrutura. Se a empresa pagou e fez seu acordo de leniência, retorna pro jogo.”

Ao ser perguntado sobre a relação com Estados Unidos e China, Mourão disse que o Brasil poderia agir como apaziguador da guerra comercial. “O Brasil hoje, inclusive, pode servir até como um atenuador dessas tensões. Procurando facilitar uma apaziguamento e uma possível solução.”

Sobre as reformas em andamento no país, Mourão disse que a nova previdência deve ser aprovada até 18 de outubro.

O vice-presidente completou que o país tem condições de aprovar a reforma tributária até o primeiro semestre do ano que vem.

*Com informações da repórter Nanny Cox