Para reinauguração de base brasileira, Mourão embarca para a Antártica

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2020 06h26 - Atualizado em 13/01/2020 09h03
Tomaz Silva/Agência Brasil Inicialmente, o presidente Jair Bolsonaro participaria do evento, mas por ordens médicas, foi substituído pelo vice

O vice-presidente Hamilton Mourão inicia nesta segunda-feira uma viagem para a Antártica. Ele será o principal representante do governo na reinauguração da Estação Comandante Ferraz, destruída por um incêndio em 2012.

Inicialmente, o presidente Jair Bolsonaro participaria do evento, mas por ordens médicas, foi substituído pelo vice.

O novo prédio recebeu investimento de R$ 100 milhões e conta com equipamentos de tecnologia avançada. A base será utilizada para estudos nas áreas de biologia, oceanografia, glaciologia, meteorologia e antropologia.

A Estação de 4,5 mil metros quadrados tem 17 laboratórios e pode hospedar 64 pessoas. Uma usina eólica e placas de energia solar ficarão responsáveis por fornecer energia para as instalações.

A base também tem salas de reuniões, academia, cozinha e ambulatório.

Em 2012, um incêndio destruiu 70% da Estação e deixou dois mortos. Para evitar que novas tragédias aconteçam, sensores de fumaça, alarmes e portas corta-fogo foram instalados no novo prédio.

Nas salas com máquinas e geradores, as paredes são feitas com um material ultrarresistente, que suporta o fogo durante duas horas sem que se espalhe para outras instalações.

Cientistas da Fiocruz já confirmaram que devem conduzir pesquisas de microbiologia a partir da análise de fungos que só existem na Antártica.

A agência Internacional de Energia Atômica também afirmou que vai desenvolver projetos meteorológicas na base brasileira.

*Com informações da repórter Nanny Cox