Mourão nega que suspensão da importação de frango por parte da Arábia Saudita seja retaliação

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2019 07h05
Ernesto Rodrigues/Estadão ConteúdoMourão nega que seja uma retaliação às afirmações do presidente Jair Bolsonaro de que o Brasil pretende transferir a embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, negou que a decisão da Arábia Saudita de suspender a importação de carne de frango brasileira seja uma retaliação às afirmações do presidente Jair Bolsonaro de que o Brasil pretende transferir a embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

De acordo com ele, o Brasil reconhece tanto Israel quanto a Palestina, o resto tudo é retórica e ilação. Segundo Hamilton Mourão, a questão é apenas econômica.

Em outubro do ano passado, uma missão técnica da Arábia Saudita esteve no Brasil, segundo Mourão, e eles já tinham a intenção de reduzir as importações de 600 mil toneladas para 400 mil toneladas.

O presidente em exercício ainda confirmou informação dada pelo presidente Jair Bolsonaro em Davos, de que a ideia é encaminhar mudanças na aposentadoria dos militares via projeto de lei depois de votada a PEC para aposentadoria dos civis.

Essa era a estratégia inclusive do governo anterior. O projeto de lei precisa de menos votos na Câmara e Senado o que, segundo ele, facilitaria a aprovação.

*Informações da repórter Luciana Verdolin