Mourão: ‘Semana que vem podemos ter um novo contingenciamento’

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2019 08h44
Mateus Bonomi/Estadão ConteúdoVice-presidente também defendeu o Coaf

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, declarou, nesta sexta-feira (19), que o governo federal pode precisar fazer um novo contingenciamento ainda neste ano. Em discurso para convidados da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão, em Florianópolis, ele lembrou que, do saldo total que a União possuía para investimentos, restam apenas R$ 84 bilhões, uma vez que um corte de R$ 30 bilhões já foi feito.

Segundo Mourão, a quantidade de despesas obrigatórias do governo hoje consomem 96% do orçamento. “Para as despesas discricionárias, ou seja, para a vida vegetativa e para investimentos, nós só dispomos de R$ 114 bilhões. R$ 30 bilhões já foram contingenciados, já são R$ 84 bilhões, e semana que vem pode ter que haver um novo contingenciamento”, afirmou.

A fala do vice sobre a possibilidade de um novo contingenciamento de verbas contraria a previsão do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que na quinta-feira (18) havia dito que o governo não deve fazer um novo bloqueio de recursos.

Durante a fala, Mourão também defendeu a importância do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) em meio às críticas à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de suspender investigações em andamento que utilizem dados compartilhados sem autorização judicial. A determinação de Toffoli veio após pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Ele ressaltou a importância do COAF ao destacar o que chamou de ameaças transnacionais como o colapso do sistema financeiro e o crime organizado.

*Com informações da repórter Victoria Abel