MP abre inquérito para investigar se criança poderia ou não estar em exposição do MAM

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2017 09h06 - Atualizado em 03/10/2017 10h15
Reprodução/AtravesAs discussões atravessaram o fim de semana e continuaram na pauta dos lugares comuns nessa segunda-feira

São Paulo. Dia 26 de setembro de 2017. O Museu de Arte Moderna estreava a 35ª edição da mostra Panorama da Arte Brasileira. Uma espécie de laboratório para levantar questões que, na visão dos artistas, merecem reflexão. A exposição foi inspirada em dois textos e um deles propõe justamente a interação e a participação do espectador nas obras de arte.

Só que a participação de um espectador em especial atingiu em cheio esse objetivo. Uma criança que toca o pé e a mão de um artista nu, que tirou a roupa para se colocar como parte da obra.

Alguém que estava lá filmou essa criança e o vídeo logo viralizou na internet. A polêmica estava armada.

O assunto gerou tanta discussão na sociedade que o Ministério Público abriu um inquérito para investigar se a criança podia ou não estar na exposição na semana passada e convidou todos os jornalistas da cidade para uma entrevista coletiva aqui no prédio do MP para falar sobre essa investigação.

Mesmo quase uma semana depois de que tudo aconteceu, os jornalistas foram lá para saber. Todo mundo querendo uma posição, até pra ter o que responder os telefonemas e os e-mails que chegaram em peso às redações nos últimos dias.

O Promotor de Justiça da Infância e da Juventude Eduardo Dias, não deixou claro se está contra nem a favor da manifestação artística. E explicou que o inquérito que ele e os outros dezesseis promotores vão investigar é pra saber se no dia que o artista estava sem roupa existia alguma placa na porta com a classificação indicativa.

As discussões atravessaram o fim de semana e continuaram na pauta dos lugares comuns nessa segunda-feira.

Apesar do calor das emoções, amanheceu do mesmo jeito. Nesta segunda feira, as portas do MAM estão fechadas.

Confira a reportagem completa de Caio Rocha: