MP abre investigação sobre mortes por falta de oxigênio no Amazonas

Em nota, o órgão afirmou que a decisão busca reunir possíveis evidências de uma atuação criminosa organizada

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2021 06h31 - Atualizado em 18/01/2021 10h18
Altemar Alcantara / Prefeitura ManausO fim dos estoques de oxigênio hospitalar levou pacientes à morte por asfixia

O Ministério Público do Amazonas vai investigar a atuação de pessoas físicas e jurídicas no colapso do sistema de saúde estadual. A apuração do grupo de atuação especial de combate ao crime organizado vai focar, principalmente, na falta de oxigênio para pacientes hospitalizados. Em nota, o órgão afirmou que a decisão tem como objetivo reunir possíveis evidências de uma atuação criminosa organizada. Com a alta no número de internações pela Covid-19, o estoque de oxigênio acabou em diversos hospitais de Manaus na sexta-feira, 15, levando pacientes à morte por asfixia. A demanda diária pelo insumo chegou a ser quase três vezes maior do que os fornecedores poderiam produzir.

No sábado, a capital amazonense recebeu uma carga de 60 mil metros cúbicos de oxigênio, que vieram de balsa da cidade de Belém. Além disso, diversos pacientes foram transferidos para hospitais de outros estados. Ainda no final de semana, o governo estadual prorrogou o fechamento do comércio não essencial até 31 de janeiro. O governador Wilson Lima já determinado toque de recolher até o dia 23 de janeiro. Com a medida, a população deve permanecer em casa das 19h às 6h.

*Com informações da repórter Nicole Fusco