MP conclui investigação e avalia denúncia contra Flávio Bolsonaro e Queiroz por desvio de salários na Alerj

O atual senador teria movimentado cerca de R$ 2,7 milhões em recursos oriundos da rachadinha, mas o MP negou e disse que ela ainda não foi ajuizada

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2020 08h29 - Atualizado em 29/09/2020 08h33
Saulo Angelo/Estadão ConteúdoFontes da Jovem Pan revelaram que as investigações estão bem aceleradas

O Ministério Público do Rio de Janeiro finaliza o inquérito sobre o caso da rachadinha na Alerj. O ex-deputado e agora senador Flávio Bolsonaro e o ex-assessor dele Fabrício Queiroz devem ser denunciados em breve. O MP fluminense já fez a primeira denuncia contra um deputado investigado: Márcio Pachedo, do PSC. Mais dia, menos dia, outras denúncias devem ser encaminhadas ao Tribunal de Justiça. Fontes da Jovem Pan revelaram que as investigações estão bem aceleradas.

Uma das mais adiantadas seria a que envolve o filho do presidente e Queiroz. Segundo investigações, o dinheiro era recolhido por Queiroz, que usava o recurso em espécie para pagar contas pessoais de Flávio e família. O dinheiro teria sido utilizado também na compra de imóveis e lavado na loja de chocolates de que Flávio é sócio. Os dois negam as acusações. Nas últimas horas, especulou-se que os dois já teriam sido denunciados à Justiça pelos crimes de lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa. O atual senador teria movimentado cerca de R$ 2,7 milhões em recursos oriundos da rachadinha, mas o MP negou e disse que ela ainda não foi ajuizada. Fontes da Jovem Pan dizem que isso é apenas uma questão de tempo.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga