MP instaura inquérito para apurar ‘trote’ em que calouras ‘juram’ não recusar ‘tentativa de coito’

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2019 07h23
ReproduçãoA frase chamou a atenção da OAB-Franca, que publicou nas redes sociais uma nota de repúdio ao acontecimento

Um vídeo do trote dos calouros do curso de Medicina da Universidade de Franca, no interior do Estado de São Paulo, viralizou nas redes sociais.

Nele, um homem incentiva um grupo de alunos – formado, na maior parte, por mulheres – a dizer que jamais vão recusar uma “tentativa de coito” de um veterano ou de uma veterana.

A frase chamou a atenção da OAB-Franca, que publicou nas redes sociais uma nota de repúdio ao acontecimento.

A coordenadora da Comissão de Combate à Violência contra a Mulher da OAB-Franca, Najara Lima, explicou que este tipo de fala, mesmo em um contexto de “brincadeira” e “descontração” como o de um trote universitário, ajuda a naturalizar episódios de violência contra a mulher.

A OAB-Franca encaminhou uma denúncia ao Ministério Público, e o promotor Paulo César Correa Borges instaurou um inquérito para apurar o caso e identificar os envolvidos.

A Universidade de Franca publicou uma nota nas redes sociais dizendo que repudia quaisquer atos que incitem preconceito, homofobia, machismo, discriminação ou equivalentes, e garantiu que os responsáveis pelos atos estão sendo identificados e vão ser punidos.

A Associação Atlética da Faculdade de Medicina da universidade também se pronunciou nas redes sociais, dizendo que reconhece o cunho ofensivo do discurso feito no trote, que está tomando as providências necessárias e que pede desculpas a todos que se sentiram ofendidos.

*Informações da repórter Mariana Janjacomo