MP investiga suposta doação da CCR, via caixa dois, a Alckmin

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2018 07h32
Reprodução/FacebookEx-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin é acusado de receber R$ 5 milhões da Concessionária CCR para a campanha de 2010

O Ministério Público Estadual de São Paulo está investigando uma suposta doação feita via caixa dois pelo grupo CCR ao ex-governador Geraldo Alckmin. O repasse, de R$ 5 milhões, teria sido usado na campanha do PSDB ao governo do estado, em 2010.

Segundo relatos feitos por representantes da empresa aos promotores, o dinheiro teria sido entregue ao cunhado de Alckmin, o empresário Adhemar Ribeiro. O valor não aparece na prestação de contas entregue à Justiça.

A CCR admistra vários trechos de rodovias paulistas e não pode fazer doações eleitorais, porque é concessionária de serviço público. Segundo os depoimentos reunidos pelo Ministério Público, entre 2009 e 2012, cerca de R$ 23 milhões teriam sido repassados a três políticos do PSDB.

Além de Alckmin, também são citados o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e o senador José Serra.

Em nota, a defesa de Alckmin disse que não tem conhecimento de qualquer denúncia, mas que o fato nunca existiu e que o ex-governador continua disposto a prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades competentes.

Os advogados dizem, ainda, que estranham o fato da investigação, caso ela exista, estar sendo conduzida pelo Ministério Público estadual, e não pelo Ministério Público Eleitoral.

O ministro Aloysio Nunes, das Relações Exteriores, declarou que “isso é pura e simplesmente uma mentira”.

Já o senador José Serra não quis se manifestar.

*Com informações do repórter Vitor Brown