MP quer indenização de R$ 1,5 milhão de Jairinho e Monique a pai de Henry Borel

Dinheiro seria para reparar danos causados a Leniel; criança foi assassinada após espancamento em março deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2021 07h00 - Atualizado em 21/07/2021 11h29
SAULO ANGELO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Jairinho é acusado de estupro, lesão leve, lesão grave, vias de fato e lesão na modalidade de dano à saúde emocional contra ex

O Ministério Público do Rio de Janeiro quer que o ex-vereador Jairinho e a professora Monique Medeiros paguem uma indenização milionária ao pai do menino Henry Borel. O pedido foi encaminhado a Justiça e fala em uma reparação de R$ 1,5 milhão ao engenheiro Leniel Borel. Seria uma indenização para reparar danos causados ao pai da criança, que foi assassinada após espancamento em março deste ano. O protagonista da agressão foi o ex-vereador, de acordo com a polícia e o MP. O Ministério Público também ofereceu, nesta terça-feira, 20, denúncia a Justiça com pedido de prisão preventiva contra Jairinho.

O ex-vereador é acusado de estupro, lesão leve, lesão grave, vias de fato e lesão na modalidade de dano à saúde emocional. Todos esses crimes foram cometidos contra uma ex-namorada dele, em um relacionamento que durou de 2014 a 2020. Essa já é a terceira denúncia de agressão contra o político envolvendo antigos relacionamentos e enteados. Nesta terça, a Justiça do Rio de Janeiro negou habeas corpus a ele e Monique Medeiros. Na sentença, o juiz Daniel Werneck Cotta disse que os crimes cometidos pelo casal foram de extrema covardia e agressividade. Soltá-los, poderia, inclusive, causar medo para testemunhas. Jairinho e Monique estão presos desde o mês de maio e já são réus na Justiça fluminense pela morte de Henry Borel. Eles devem ir ao tribunal do júri ainda neste ano.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga