MP-RJ entra com ação contra presidente afastado da Alerj, Jorge Picciani, pela primeira vez

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2018 07h21
Tânia Rego/Agência BrasilEle é acusado de improbidade administrativa, e teria lavado dinheiro comprando gado

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com ação na Justiça contra o presidente afastado da Assembleia Legislativa do Estado, Jorge Picciani. Ele é acusado de improbidade administrativa, e teria lavado dinheiro comprando gado.

A família Picciani é dona de fazenda produtora de gado e que atua também na reprodução do animal.

A ação sustenta que, em setembro de 2014, Picciani vendeu 100 cabeças de gado ao ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, Jonas Lopes de Carvalho, por R$ 500 mil, sem emitir notas fiscais e, segundo Jonas, ciente de que o dinheiro tinha origem ilícita.

Também são acusados por atos de improbidade administrativa um dos filhos de Picciani, Felipe, e seu sócio André Gustavo Vasconcellos Monteiro, as duas empresas agropecuárias ligadas à família, a Agrobiara Comércio e Participações e a Agropecuária Copacabana Comércio e Participações, além de Jonas Lopes.

A petição, assinada por nove promotores, pede à Justiça, em caráter liminar, o afastamento dos acusados do exercício de funções públicas e a indisponibilidade de R$ 10 milhões em total de bens.

O MP também quer o bloqueio de R$ 4 milhões de Picciani, que está preso na Cadeia Pública de Benfica.

*Informações do repórter Rodrigo Viga