MP-SP monitora asilos e vê condições para aumento de casos e mortes por covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2020 07h59
Leandro Ferreira/Estadão ConteúdoA Prefeitura de São Paulo afirmou que os profissionais que atuam nos serviços destinados à idosos receberam orientações sobre a situação epidemiológica

O Ministério Público de São Paulo monitora a estrutura de isolamento de idosos nos asilos da capital paulista e teme aumento no número de mortes por covid-19. Desde o dia 13 de março o MP acompanha as casas de repouso públicas e privadas em meio à pandemia.

Os dados mais recentes do Ministério Público apontam que há duas mortes confirmadas e quatro suspeitas por coronavírus nessas casas. Segundo o levantamento, dos 29 casos suspeitos de contaminação 15 deles testaram positivo para o vírus e estão internados em hospitais para tratamento

No entanto, a falta de quartos para isolamento e de produtos de higiene preocupa o MP, que já prevê um salto no número de mortes nas próximas semanas. A promotora Cláudia Maria Beré pede a ajuda da sociedade com doações de máscaras, luvas e outros materiais de higiene pessoal para o cuidado dos idosos.

A promotoria do Idoso sugere a quem estiver interessado em doar equipamentos de proteção a essas instituições procurar o MP pelo e-mail idoso@mpsp.mp.br.

De acordo com a promotora Claudia Bere, a nota técnica de prevenção à covid-19 da Anvisa pede que as casas de repouso tenham infraestrutura para isolar os idosos contaminados ou mesmo suspeitos. No entanto, ainda segundo Beré, as clínicas não têm condições de seguir as recomendações.

Em algumas clínicas de repouso, de acordo com o órgão, há quartos compartilhados por até quadro idosos. Após recomendação da promotoria, os asilos proibiram as visitas aos idosos por tempo indeterminado para evitar contaminação externa

A Prefeitura de São Paulo afirmou que os profissionais que atuam nos serviços destinados à idosos receberam orientações sobre a situação epidemiológica e foram capacitados para cuidados no manejo clínico, biossegurança e recomendações técnicas preconizadas pelo Ministério da Saúde

Segundo a Prefeitura, os serviços nos asilos são higienizados constantemente, as janelas estão mantidas abertas e as camas foram remanejadas para que haja um metro de distância entre os conviventes.

*Com informações do repórter Leonardo Martins