MP-SP oferece denúncia contra Wesley Batista pelo crime de ‘insider trading’

O crime de insider trading estipula pena de no máximo cinco anos de prisão.

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2019 09h54 - Atualizado em 07/05/2019 13h22
Divulgação Divulgação A denúncia trata do uso de informação privilegiada nos mesmos termos que ocorreu na primeira denúncia feita em maio de 2017

O Ministério Público de São Paulo ofereceu denúncia nesta terça-feira (07) contra o empresário Wesley Batista. A denúncia trata do uso de informação privilegiada nos mesmos termos que ocorreu na primeira denúncia feita em maio de 2017, quando ele e seu irmão, Joesley, foram processados.

Segundo a procuradora da República Thaméa Danelon, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, “Wesley agiu da mesma forma em nome de duas outras empresas, a Seara Alimentos e a Eldorado Celulose” e foi denunciado pelo crime de “insider trading”, que é o uso de informação privilegiada.

A denúncia desta vez compromete apenas Wesley Batista por conta da compra de dólares. “Na primeira denúncia que originou a prisão dos irmãos, Joesley respondia por compra e recompra de ações, e as operações de dólar foram feitas pelo Wesley. Por conta disso, somente Wesley foi denunciado agora”, explicou a procuradora.

A Comissão de valores Imobiliários apontou que, em nome da Seara Alimentos, foram comprados 25 milhões de dólares, e em nome da Eldorado Celulose mais 280 milhões de dólares. “As compras ocorreram antes da colaboração premiada ser divulgada pela imprensa, com isso eles tiveram lucro de R$ 64 milhões”.

Denunciado por “insider trading”, Wesley, segundo o MP-SP, sabia que quando a informação de sua colaboração premiada viesse a público teria um impacto no mercado financeiro. “Quando há fato político, há alta do dólar. Sabedor dessa informação e antes de a colaboração ser divulgada, Wesley adquiriu esses contratos de dólar”, ressaltou Thaméa Danelon.

O crime de “insider trading” estipula pena de no máximo cinco anos de prisão.

Confira a entrevista completa com a procuradora Thaméa Danelon: