MPF acusa Paulo Preto de desvios na Nova Marginal Tietê

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2019 07h34
Geraldo Magela/Agência SenadoPaulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, apontado como operador de propina do PSDB

O ex-diretor da Dersa em São Paulo, Paulo Preto, foi denunciado pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e a Justiça Federal fluminense nesta quinta-feira (1) por supostas ilegalidades e irregularidades na obra na Nova Marginal Tietê.

Além dele, também foram indiciadas mais seis pessoas, entre elas Fernando Cavendish, empreiteiro, que foi dono da empresa Delta Engenharia. Os sete denunciados vão responder por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, entre outros.

Nesta semana, inclusive, Cavendish disse ao juiz Marcelo Bretas que chegou a pagar quase R$ 30 milhões em propina para a obra, com intermediação justamente de Paulo Preto, que cobrava taxa de 6%. Desses R$ 30 milhões, R$ 8 milhões foram pagos antecipadamente à Preto e o resto foi sendo enviado ao longo do contrato.

As investigações fazem parte da Operação Saqueador, que começou em São Paulo mas foi remetida para o MPF-RJ. A partir de agora, quem cuida do caso é Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Estado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga