MPF denuncia coronel que fez ameaça de intervenção militar nas eleições

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2019 07h09 - Atualizado em 03/09/2019 10h46
Reprodução/Facebook Coronel da reserva defendia o então candidato Jair Bolsonaro (PSL)

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o coronel reformado Antônio Carlos Alves Correia pela prática do crime de “incitação à animosidade entre as Forças Armadas e o Poder Judiciário”.

Durante o período eleitoral do ano passado, o coronel publicou em seu canal do Youtube um total de oito vídeos com supostas ameaças à presidente Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, a outros ministros da Corte Eleitoral, do Supremo Tribunal Federal (STF) e também ao então ministro de Segurança Pública, Raul Jugmann.

Nos vídeos, Correia afirmava que se houvesse alguma decisão das autoridades que prejudicasse o então candidato Jair Bolsonaro (PSL), haveria intervenção militar no país.

O acusado foi alvo de mandado de busca e apreensão, em 26 de outubro, e, na época, foi obrigado a usar tornozeleira eletrônica, por decisão da 5ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. O coronel da reserva ainda teve de manter distância mínima de 5 km dos ministros.

Durante as buscas, a Polícia Federal (PF) ainda conseguiu identificar outros 30 arquivos de vídeos gravados também com supostas ameaças a autoridades.

Segundo o autor da denúncia, procurador da República José Maria Panoeiro, “o comportamento do denunciado foi muito além dos limites razoáveis para a crítica”. A denuncia do MPF prevê pena de reclusão de um a quatro anos.

*Com informações da repórter Victoria Abel