MPF denuncia engenheiro da Marinha por cobrar propinas em contratos de submarino nuclear

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2019 10h20
ReproduçãoCaso é sobre licitações para o desenvolvimento de um submarino nuclear

O Ministério Público Federal denunciou um engenheiro da Marinha por cobrar e receber propina em licitações para o desenvolvimento de um submarino nuclear.

Entre 2009 e 2013, Renato Del Pozzo recebeu 1,2 milhão euros para favorecer a companhia austríaca de componentes nucleares Bilfinger Machinebô.

Além de corrupção passiva, o acusado vai responder por lavagem de dinheiro. O crime também é atribuído ao engenheiro particular Jairo João Mola, que teria agido como laranja de Del Pozzo.

A denúncia acontece a partir da Operação Submarino, deflagrada em fevereiro pelo Ministério Público.

O valor das propinas equivale a 6,7% do total pago à empresa entre 2009 a 2014 para estabelecer 15 contratos de fornecimento assinados com o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo.

Os pagamentos foram feitos por meio de contratos fictícios de consultoria com a empresa austríaca. O dinheiro era depositado em uma conta na Suíça em nome de uma empresa de assessoria comercial.

Em depoimento à Polícia Federal, o engenheiro laranja admitiu que recebeu um montante de 180 mil euros em contas suíças, que seriam repassados a Del Pozzo. O caso foi descoberto entre 2014 e 2015.

Em 2017 a empresa alemã firmou um acordo de leniência com o Ministério Público, que se desdobrou na obtenção de provas com a quebra de sigilo fiscal e bancário dos acusados, além dos mandados de busca e apreensão.

*Com informações do repórter Renan Porto