MPF diz que vazamento de óleo no Nordeste é o maior do país e cobra providências

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2019 10h34
CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOFuncionários da Prefeitura de Tamandaré, no estado de Pernambuco, trabalham na retirada de óleo da praia dos Carneiros, nesta sexta-feira (18)

A sexta-feira (18) foi de limpeza em pelo menos seis praias do litoral sul de Pernambuco que foram atingidas por manchas de óleo. Segundo o governo do estado, foram retiradas mais de 20 toneladas da substância em três cidades: Tamandaré, Barreiros e Sirinhaém.

Entre as praias mais afetadas está a de Carneiros, um dos cartões postais de Pernambuco. Centenas de voluntários se mobilizaram para auxiliar na ação de limpeza. Uma parte dos recifes de corais da região também foi atingida.

Até agora não se sabe o tamanho do impacto ambiental das manchas de óleo. Em Salvador, até esta sexta-feira, a prefeitura já havia retirado 90 toneladas de óleo das praias. Faz nove dias que as primeiras manchas atingiram a cidade. O prefeito da capital, ACM Neto, vistoriou a praia Pedra do Sal, uma das mais atingidas pelo óleo.

Já em Alagoas, até agora, foram recolhidas mais de 160 toneladas de óleo, inclusive em praias dos municípios de Maragogi e Japaratinga.

Em resposta aos vazamentos no litoral nordestino, o Ministério Público Federal entrou com uma ação coletiva contra a União. O documento foi assinado nesta quinta-feira (17) por procuradores da República de todos os 9 estados atingidos.

De acordo com o MPF, em termos de extensão, esse é o maior desastre ambiental da história no litoral brasileiro.

Para a Procuradoria, a União está sendo omissa ao adiar medidas protetivas e não atuar de forma articulada na região atingida pelos vazamentos.

O Ministério Público pede que seja colocado em ação o plano emergencial, criado em 2013. A ação pede multa diária de R$  1 milhão caso seja descumprida a implementação do plano.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni