MPF quer aumentar penas de Picciani, Melo e Albertassi, presos na operação Cadeia Velha

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2018 06h15
Fernando Frazão/Agência BrasilPicciani (foto) está em prisão domiciliar, e os outros dois seguem detidos no complexo de Bangu, na zona oeste da capital

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro pediu à Justiça para aumentar penas de parlamentares do MDB presos na operação Cadeia Velha.

O órgão move ação na Justiça Federal contra os deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, que formavam o núcleo duro do MDB na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Picciani está em prisão domiciliar, e os outros dois seguem detidos no complexo de Bangu, na zona oeste da capital. Os três foram detidos na operação que descobriu esquema movido a propina entre empresários do ramo de ônibus e os emedebistas.

Eles receberam, ao longo de anos, milhões de reais das empresas de ônibus em troca de vantagens e benefícios. Os três foram denunciados por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Segundo o MPF, entre 2010 e 2015, Paulo Melo recebeu mais de R$ 54 milhões das empresas de ônibus em propina; Picciani, ao longo de seis anos, teria desembolsado mais de R$ 11 milhões, enquanto que Albertassi recebeu algo entre R$ 2 milhões nos anos de 2012 a 2014.

A defesa dos três deputados nega recebimentos ilícitos para aprovação de medidas na Alerj.

*Informações do repórter Rodrigo Viga