Mundo supera 13 milhões de infectados pelo coronavírus, diz universidade

A Organização Mundial da Saúde alertou que a pandemia pode ficar cada vez pior se as precauções básicas de saúde não forem praticadas

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2020 07h19 - Atualizado em 14/07/2020 08h06
MINETO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOA Califórnia voltou a fechar estabelecimentos após nova alta nos casos de Covid-19 no estado. Serviços como academias, shoppings, salões de cabeleireiros e locais de culto ficarão fechados

Nesta segunda-feira (13), o Brasil registrou mais de 1,8 milhão de infectados pela Covid-19 e 72.833 falecimentos pela doença. Ao todo, foram 20 mil novos casos em apenas 24 horas. Segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins, já são mais de 13 milhões de infectados pelo coronavírus em todo o mundo; as mortes ultrapassaram a marca de 570 mil.

Para ajudar a salvar vidas, uma campanha promovida pela Sociedade Brasileira de Infectologia e o Instituto Estáter vai oferecer oxímetros para pacientes de baixa renda diagnosticados com o coronavírus. Os aparelhos servem para verificar o nível de oxigênio no sangue e são essenciais nos estágios iniciais da doença. O objetivo é evitar que o caso evolua para um quadro gravíssimo, quando é necessário entubar o paciente. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, muitas pessoas apresentam baixa oxigenação sem que haja sensação de falta de ar.  Clóvis Arns ressalta que, por causa disso, muitos procuram os hospitais tarde demais.

A intenção da campanha é atingir principalmente os pacientes com mais de 60 anos e com problemas prévios de saúde, como diabetes, hipertensão e obesidade. Nesta segunda-feira (13), a Organização Mundial da Saúde alertou que a pandemia pode ficar cada vez pior se as precauções básicas de saúde não forem praticadas. Para o diretor da entidade, “muitos países estão indo na direção errada e o vírus continua sendo o inimigo público número um”.  Tedros Adhanom disse, ainda, que entre os 230 mil novos casos notificados no domingo (12), 50% eram de apenas dois países, Estados Unidos e Brasil, que são os mais afetados.

A Califórnia voltou a fechar estabelecimentos após nova alta nos casos de Covid-19 no estado. Serviços como academias, shoppings, salões de cabeleireiros e locais de culto ficarão fechados, inclusive em Los Angeles, segunda maior cidade dos Estados Unidos.

*Com informações da repórter Letícia Santini