Na CPMI do BNDES, empresário ataca a injeção de recursos públicos no setor de frigoríficos

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2017 07h55 - Atualizado em 23/11/2017 11h45
Joédson Alves/EFEO empresário reclamou dos privilégios dados a algumas empresas e atacou a política dos campões nacionais, em especial os recursos recebidos pela JBS

Em depoimento à CPMI do BNDES, o ex-presidente do Frigorífico Independência, Roberto Graziano Russo, criticou os aportes milionários concedidos ao setor de frigoríficos.

O empresário reclamou dos privilégios dados a algumas empresas e atacou a política dos campões nacionais, em especial os recursos recebidos pela JBS.

“O mercado começa a questionar a estratégia de campeões nacionais. Das quatro empresas que o BNDES tem participação acionária, Independência estava em recuperação judicial, Bertin fez fusão para não pedir recuperação judicial, Marfrig com dificuldades e JBS com estrutura de capital robusta fomentada pelo BNDES. Vossas Excelências devem ter percebido por esse resumo que um setor inteiro quebrou sob o pretexto de uma política de campeão nacional. Campeão este para quem nunca faltou dinheiro”, disse.

Após a fala do empresário Roberto Graziano, ex-presidente do Frigorífico Independência, o depoimento foi suspenso pelo senador Sérgio Petecão, vice-presidente da CPMI. Ele explicou que a reunião não poderia seguir sem a participação da maioria dos membros do colegiado, que estavam em outra comissão.

Os trabalhos devem ser retomados nesta quinta-feira, quando deverá ser votado o requerimento para a realização de diligências no BNDES, no Rio de Janeiro.

*Informações do repórter Vitor Brown