Na expectativa da denúncia contra Temer, deputados comentam decisão do Supremo

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2017 06h41
Brasília - 1º secretário da Câmara, deputado Beto Mansur comenta decisão do presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), de anular votação do impeachment na Câmara (José Cruz/Agência Brasil)O vice-líder do Governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB), acredita que mesmo com o julgamento desta quarta-feira, a denúncia chega enfraquecida

Enquanto discutiam a reforma política, os deputados não deixaram de acompanhar o julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer. Sete dos oito ministros que já votaram foram a favor de enviar a peça para a Câmara. Apenas o ministro Gilmar Mendes se manifestou pela devolução da denúncia para a Procuradoria-Geral da República.

O deputado Alessandro Molon (Rede) concordou com a decisão do STF. Para ele, o recente escândalo envolvendo as delações da JBS não enfraquecem as provas apresentadas: “não há a menor dúvida de que as provas são válidas independentemente da manutenção dos benefícios prometidos aos delatores. Além disso, a denúncia vem fortalecida pela delação de Lúcio Funaro”.

Já o vice-líder do Governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB), acredita que mesmo com o julgamento desta quarta-feira, a denúncia chega enfraquecida. Ele acredita em vitória do Governo no plenário e na Comissão de Constituição e Justiça: “nós vamos dar agilidade para que possamos discutir a denúncia na CCJ e plenário da Casa vai tomar decisão política para encerrar esse assunto, até porque a denúncia é muito mais fraca do que fraca foi a primeira”.

A expectativa é que a denúncia seja enviada para a Câmara nos próximos dias, possivelmente nesta quinta-feira. Depois, o presidente Michel Temer vai ser oficialmente notificado da acusação. Ele vai ter até dez sessões plenárias para apresentar uma defesa.

*Informações do repórter Levy Guimarães