‘Nada mudou’, diz Eduardo sobre indicação para embaixada após decisão dos EUA sobre OCDE

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2019 06h53
José Lucena/Futura Press/Estadão ConteúdoEduardo Bolsonaro participou de um encontro sobre a reforma tributária em São Paulo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) avalia que o apoio dos Estados Unidos à entrada de Argentina e Romênia na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), postergando o aval à candidatura brasileira, não coloca em risco a indicação dele à embaixada do Brasil em Washington.

Nesta segunda-feira (14), em São Paulo, ele afirmou o suporte ao pleito brasileiro, manifestado por Donald Trump, se mantém. Nos bastidores, porém, a manifestação favorável dos americanos a argentinos e romenos soou como sinal de alerta à indicação de Eduardo à embaixada brasileira nos Estados Unidos.

“Teve uma carta vazada, onde houve uma interpretação totalmente deturpada, mais uma daquelas interpretações que, ao meu ver, é só para tentar desgastar o governo Bolsonaro. Trump falou, Pompeu falou, a embaixada americana falou, então está na cara e só não enxerga quem não quer. Os Estados Unidos apoiam a entrada do Brasil para a OCDE“, disse, ressaltando que “não acredita” que o impasse pode atrapalhar sua indicação.

O filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) esteve em um evento que discutiu a reforma tributária. No encontro, ele afirmou que a mudança no sistema de impostos é urgente, mas preferiu não responder sobre a demora do governo em enviar um texto próprio de mudanças no sistema enquanto projetos paralelos tramitam no Congresso.

Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a reforma tributária não é urgente.

*Com informações da repórter Victoria Abel