‘Nada pode ficar debaixo do tapete’, diz Covas sobre propina em gestões do PSDB

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2019 07h31
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoPrefeito afirmou que a Justiça serve para todas as pessoas

O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas defendeu, nesta quinta-feira (29), as investigações sobre um suposto esquema de propinas dentro do PSDB, envolvendo o ex-governadores  Geraldo Alckmin e José Serra. A declaração foi dada após o ex-diretor do Metrô, Sérgio Correa Brasil, denunciar, em acordo de delação premiada à Operação Lava, m esquema de corrupção envolvendo a companhia de 2004 a 2014.

“Que se averigue, que se investigue. Somos contra deixar para baixo do tapete qualquer tipo de denúncia, o ônus da prova cabe à quem acusa. Vamos ter que verificar as provas que vão ser juntadas. De que forma vai se comprovar, ou não, esse tipo de fala. E não tem problema, vamos aguardar a Justiça. A Justiça é para todos, não tem nenhuma questão para ser colocada para debaixo do tapete”, afirmou Covas.

As investigações mostram que o esquema com as empreiteiras Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa envolveu as linhas 2-verde, 5-lilás e 6-laranja. Devido a ele, as obras dessas linhas teriam ficado mais caras e mais lentas. Ainda de acordo com a apuração, PPS (hoje Cidadania), PSDB, PFL (hoje DEM) e PTB – partidos da base da administração Alckmin – recebiam repasses mensais em troca de apoio ao governo.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos