‘Não existe fake news de esquerda ou direita, há desinformação’, avalia deputado federal

Orlando Silva disse que tem preocupação com os instrumentos que tentam se passar por órgãos de imprensa

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2020 08h23 - Atualizado em 04/08/2020 08h26
Fátima Meira/Estadão ConteúdoNo total, serão dez audiências públicas na Câmara para debater o texto já aprovado no Senado

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) acredita que não há fake news de esquerda ou de direita. “Você tem desinformação que vai além de lados da disputa política. Não tem um lado santificado e outro demonizado, há desinformação em todos os aspectos políticos da vida brasileira. Uma coisa é opinião política, outra é produzir peças falsas”, avaliou o principal cotado para relatar o projeto das fake news na Câmara dos Deputados.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Orlando lembrou da oitava audiência pública para debater o tema na casa legislativa que aconteceu na última segunda-feira (30). No total, serão dez reuniões para debater o texto já aprovado no Senado. “Temos ouvido juristas, especialistas, a sociedade civil, jornalistas”, completou. De acordo com ele, a solução apresentada pelo advogado Ronaldo Lemos é valida e mira coibir a desinformação investindo na investigação sobre o financiamento das notícias falsas — em vez de fechar o cerco em cima de quem repassa as fake news.

Orlando Silva ainda defendeu a imprensa profissional, como a Jovem Pan, que vinculam notícias verdadeiras. Segundo ele, os jornais sérios não são o foco do projeto. “Há preocupação, sobretudo, com os instrumentos que tentam se passar por órgãos de imprensa. Tem muitos sites que estão no ar que se passam pela imprensa e não são”, lembrou. O deputado federal ainda ressaltou que, no mundo, não há regularização sobre o assunto — portanto é preciso ter “muita paciência” porque o tema não é simples.