Natalini reassume vaga na Câmara municipal e diz que não fez nada para justificar sua demissão

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2017 08h48 - Atualizado em 24/08/2017 11h52
De volta à Câmara municipal, o vereador Gilberto Natalini (PV) ressaltou que não fez nada de errado

O ex-secretário demitido pelo prefeito João Doria garantiu que apenas exigiu o cumprimento da lei na pasta do Verde e do Meio Ambiente da cidade de São Paulo.

De volta à Câmara municipal, o vereador Gilberto Natalini (PV) ressaltou que não fez nada de errado. “O que me estranhou muito foi que até maio, enquanto estavam lá os funcionários da administração passada, não houve reclamação nenhuma. Quando tiramos aquele que se suspeitava, 20 dias depois começou o protesto. O que exigimos agora é o cumprimento da lei. Por que estão reclamando se o secretário era o mesmo desde janeiro? É que estamos exigindo que a lei seja cumprida”, disse.

Natalini evitou ataque direto a Doria, diferente do tucano Mario covas Neto: “é uma condução desastrosa. É muito na linha antiga. Enquanto o prefeito tem a coisa da modernidade, olhando cidade mais moderna, você tem condição política tratando do passado, em uma política de toma lá dá cá. A razão pública é para acomodar um outro partido. Acomodar por quê? O partido já era base na Câmara. Deixou de ser? Não”, criticou.

O ex-secretário garantiu que apresentou o esquema fraudulento na emissão de laudos à controladora geral do município, Laura Mendes Armando de Barros, que também foi demitida, um dia antes de Natalini.

Para evitar que o vereador usasse a tribuna da Câmara nesta quarta, a base governista de Doria esvaziou à sessão. Não houve o quórum mínimo de 19 de 55 vereadores. Mas a manobra contou com a ajuda decisiva do PT.

Coincidência ou não, os funcionários municipais afastados da Secretaria do Verde ficaram da gestão do prefeito Fernando Haddad.

*Informações do repórter Marcelo Mattos