Nise Yamaguchi pede desculpas por fala sobre Holocausto; hospital não descarta demissão

Em entrevista à TV Brasil, a médica se refere às vítimas do holocausto como “massa de rebanho de judeus famintos”

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2020 06h18 - Atualizado em 13/07/2020 08h16
ReproduçãoA infectologista é uma das principais defensoras do uso da hidroxicloroquina em estágios iniciais da Covid-19

A oncologista Nise Yamaguchi pediu desculpas pela declaração em que comparou a postura das vítimas do holocausto com o pânico provocado pela pandemia da Covid-19. A médica afirmou ser solidária à dor da comunidade judaica e lamentou o que chamou de expressões e interpretações errôneas.

O Hospital Albert Einstein, em São Paulo, afastou Yamaguchi das atividades. Em nota, a entidade informou que “como se trata de manifestação insólita” é preciso investigar se “houve mero despropósito destituído de intuito ofensivo ou manifestação de desapreço motivada por algum conflito”. A declaração de Nise em relação ao holocausto foi feita durante uma entrevista à TV Brasil na semana passada.

O Hospital Albert Einstein não descarta a demissão de Nise. A possibilidade foi confirmada pelo presidente da instituição, Sidney Klajner, em entrevista ao SBT. Yamaguchi deve ser ouvida pelo comitê de ética do Einstein nesta semana. A infectologista é uma das principais defensoras do uso da hidroxicloroquina em estágios iniciais da Covid-19. O Hospital afirmou que a postura em relação ao medicamento não contribuiu para o afastamento de Nise Yamaguchi.

*Com informações da repórter Nanny Cox