No BNDES, Damares denuncia ‘comércio macabro’ de ‘vídeos de estupro de bebês’

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2019 10h55
Cleia Viana/Câmara dos DeputadosDe acordo com a ministra, vídeos chegam a custar R$ 100 mil

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, denunciou, nesta sexta-feira (6), a existência de uma “rede macabra” de negociação de fotos e vídeos de crianças exploradas sexualmente. Ela esteve em um evento no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), onde relembrou, em tom emocionado, dos abusos que sofreu aos seis anos.

Damares afirmou que recebeu denúncias sobre casos de recém-nascidos sendo abusados sexualmente com cerca de sete ou oito dias de vida. Ela revelou, também, que pais e estupradores estão fazendo vídeos desses atos sexuais e comercializando o material a valores que chegam a R$ 100 mil.

“Crianças de sete dias no Brasil sendo estrupadas. E muitos pais produzindo imagens porque o comércio do estupro de bebês cresceu de tal forma no Brasil que nós já encontramos vídeo custando R$ 100 mil, nesse comércio macabro que vende corpos de crianças. E que este governo está tendo coragem de enfrentar com muita firmeza”, disse, acrescentando que o governo do presidente Jair Bolsonaro vai “lutar até o final” contra a exploração sexual de menores.

Para a ministra, com mais investimentos sociais, as condições de vida das crianças irão melhorar e, aos poucos, o país deve conseguir eliminar, o minimizar, esses casos de exploração sexual.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga