Novo responsável pelos processos da Lava Jato em Curitiba encara primeira audiência nesta quinta (07)

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2019 07h46
Divulgação/TRF-4Na quarta-feira (06), o magistrado assumiu o posto deixado por Sergio Moro, que foi nomeado ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo de Jair Bolsonaro

Mal começou a comandar a 13ª Vara Federal de Curitiba, o juiz Luiz Antônio Bonat já encara nesta quinta-feira (07) a primeira audiência relacionada à operação Lava Jato.

Na quarta-feira (06), o magistrado assumiu o posto deixado por Sergio Moro, que foi nomeado ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo de Jair Bolsonaro.

Bonat foi escolhido por unanimidade pelo Conselho do Tribunal Regional Federal da Quarta Região. Ele tem 64 anos e atua como juiz federal desde 1993.

No período de hiato desde a saída de Moro, quem comandou os processos da força-tarefa na primeira instância foi a juíza substituta Gabriela Hardt.

A magistrada foi responsável pela segunda condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi sentenciado a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio em Atibaia, no interior de São Paulo.

Também caberá a Bonat julgar o petista no caso da doação de terreno ao Instituto Lula pela Odebrecht. Além do processo, o juiz será responsável por sentenciar réus como os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, os ex-deputados Eduardo Cunha e Cândido Vaccarezza, além de empresários e ex-diretores da Petrobras, num total de 38 ações. Entre os casos mais emblemáticos está o da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Nesta quinta-feira, ele ficará frente a frente com o doleiro Alberto Youssef, o empresário da UTC, Ricardo Pessoa, e o executivo da Odebrecht, Fernando Migliaccio, em ação que apura desvios na construção do prédio da Petrobras, em Salvador. O magistrado também já tem 12 ações prontas para serem sentenciadas.

*Informações do repórter Matheus Meirelles