Número de consultas por telemedicina dobra a cada 36 horas no Brasil

Apenas neste mês foram 50 mil atendimentos a distância realizados, segundo associação do setor

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2022 09h09 - Atualizado em 13/01/2022 09h13
FreepikNa semana das festas de fim de ano, as consultas online saltaram de 7 mil para 15 mil

O avanço da variante Ômicron coloca todos em alerta. O aparecimento de qualquer sintoma preocupa e os brasileiros têm buscado ajuda na telemedicina. Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital, entidade que representa 90% do mercado privado de telessaúde no país, a demanda por esse tipo de atendimento dobra a cada 36 horas, ou seja, a cada um dia e meio. Na semana das festas de fim de ano, as consultas saltaram de 7 mil para 15 mil e do Réveillon até esse início de janeiro para 50 mil. Ao mesmo tempo, aumenta também as filas nos postos presenciais. Na capital paulista, segundo a prefeitura, só as unidades básicas de saúde já registraram mais de 189 mil atendimentos de pessoas com sintomas respiratórios neste mês. Nas UPAS e pronto atendimentos foram mais de 124 mil atendimentos. 

Nesta quarta-feira, 12, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o Brasil passa por um novo desafio com o avanço da variante Ômicron, que traz incertezas e preocupações. Segundo ele, no entanto, o país vive outro momento da pandemia, com grande parte da população vacinada, e o governo trabalha pra evitar um colapso no sistema de saúde. O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde enviou ao Ministério um ofício pedindo direcionamento de recursos financeiros para testagem em massa da população. A entidade também pede que o governo federal se posicione sobre a realização de eventos com aglomeração, como as festas de Carnaval.