Nunes diz que está empenhado em não aumentar passagem de ônibus

Cenário de altas é devido aos reajustes no valor dos combustíveis, que por sua vez refletem a política de preços da Petrobras; Uber reajustou corridas em 6,5%

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2022 13h47 - Atualizado em 15/03/2022 14h05
Divulgação/Afonso Braga Homem de máscara discursa na Câmara de Vereadores Ricardo Nunes, prefeito da cidade de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), disse que não tem como confirmar o aumento do preço da passagem de ônibus na capital paulista. Nunes afirmou ao Jornal da Manhã que está fortemente empenhado em não fazer esse repasse para o bolso do cidadão. O prefeito explicou que o reajuste no preço vai depender de alguns fatores como, por exemplo, um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados e estabelece o repasse de R$ 5 bilhões do governo federal para as prefeituras custearem a gratuidade da passagem dos idosos. São Paulo receberia cerca de R$ 350 milhões desse fundo, que vem sendo negociado desde o ano passado. Um pedido de urgência para acelerar a tramitação do texto deve ser votado nos próximos dias.

Quem já confirmou oficialmente o aumento no preço após a alta dos combustíveis foi o aplicativo de viagens privadas Uber. O reajuste será de 6,5% nas corridas. A Uber informou que a medida faz parte de um pacote de ajuda de R$ 100 milhões aos motoristas do aplicativo. Em nota, a diretora geral da Uber no Brasil, Silvia Pena, disse esperar que essas ações emergenciais colaborem para reduzir os impactos no dia a dia dos motorista cadastrados na plataforma. Segundo a empresa, o aumento nas corridas é temporário, mas ainda não há previsão de quando será encerrado.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha