ONG denuncia que ração de animais está sendo usada como alternativa para fome de venezuelanos

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2018 06h54
EFEDe acordo com os ativistas, supermercados na capital Caracas vendem uma espécie de embutido congelado para cachorro

Por escassez de alimentos, venezuelanos estão consumindo comida feita para cachorro e ração de galinha. Essa é a denúncia feita pelo Programa Venezuelano de Educação e Ação de Direitos Humanos, o Provea.

De acordo com os ativistas, supermercados na capital Caracas vendem uma espécie de embutido congelado para cachorro.

A ONG explica que é uma mistura de partes não comestíveis do frango: ossos triturados, penas, pele e cartilagem.

De acordo com a diretora de Nutrição do Hospital Emílio Ribas, Andrea Zumbini Paulo, esse tipo de alimento pode causar problemas de saúde: “esse embutido congelado é feito com partes não comestíveis”.

O Provea afirma que ração para galinhas também passou a ser consumida com frequência pelos venezuelanos no lugar do arroz.

A nutricionista Andrea Zumbini ressaltou que a falta de rigor sanitário na produção pode gerar problemas gastrointestinais graves. Ela também explicou os problemas nutricionais: “todos os alimentos produzidos são feitos especificamente para os animais e não é recomendado para nós”.

Na internet, há vários relatos da falta de comida e também dos preços altíssimos dos poucos alimentos disponíveis.

Nas redes sociais, a população divulga vídeos que mostram gôndolas de supermercados vazias.

Na semana passada, pelo menos quatro pessoas morreram durante saques de comida em várias regiões do Estado de Mérida.

Em meio à crise econômica na Venezuela, o governo e a oposição marcaram uma nova reunião para tentar melhorar as condições de vida no país e definir os rumos da eleição presidencial deste ano.

Representantes dos dois lados se encontram no próximo dia dezoito para a terceira rodada de negociações na República Dominicana.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto