ONU vai analisar temperatura de 38°C na Sibéria; Europa tem onda de calor

Dados mostram que o Ártico está aquecendo duas vezes mais rápido; Uma onda de calor na Europa também dificulta as medidas de isolamento

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2020 06h27 - Atualizado em 25/06/2020 08h11
EFE/EPA/Filippo VeneziaAs autoridades de saúde estão preocupadas com os efeitos do calor na população, especialmente com idosos, que já são grupo de risco para a Covid-19

A Organização das Nações Unidas está analisando o calor recorde que foi registrado no Circulo Polar Ártico neste ultimo final de semana. Os 38 graus registrados na cidade russa de Verkhoyansk, na Sibéria, acenderam o alerta da Organização Meteorológica Mundial, vinculada à ONU.

Dados da entidade mostram que o Ártico está aquecendo duas vezes mais rápido do que a média global. Mais de 275 mil hectares de floresta pegaram fogo na região.

De acordo com o coordenador de comunicação do Observatório do Clima, Claudio Angelo, as queimadas são resultado do aquecimento visto no ultimo século.

A Europa também enfrenta uma onda de calor que tem dificultado as medidas de isolamento à Covid-19. Na quarta-feira (26), foram observadas temperaturas em torno de 35 graus na Espanha e em Portugal. Países escandinavos enfrentam um calor de 30 graus. Praias de cidades do sul da Inglaterra ficaram lotadas após o dia mais quente do ano no Reino Unido.

As autoridades de saúde estão preocupadas com os efeitos do calor na população, especialmente com idosos, que já são grupo de risco para a Covid-19.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda