Onyx reforça importância do auxílio emergencial: No Brasil, difusão da doença se deu de forma diferente

Entretanto, ele reforçou o pedido do presidente Jair Bolsonaro de que haja equilíbrio entre saúde e economia

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2020 10h05 - Atualizado em 01/07/2020 10h06
ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMinistro da Cidadania destacou que em pouco mais de 60 dias o governo federal foi capaz de "encontrar e pagar com alto grau de segurança"

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, comemorou o sucesso do auxílio emergencial e destacou que a aplicação do benefício em um aplicativo surpreendeu positivamente o governo — que acabou descobrindo a existem de pelo menos mais 25 milhões de “invisíveis” que não estavam mapeados nem em contas bancárias. Entretanto, ele reforçou o pedido do presidente Jair Bolsonaro de que haja equilíbrio entre saúde e economia. Na terça-feira (30), foi confirmado que o benefício vai se estender até agosto no valor de R$ 600.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, Lorenzoni disse que inicialmente a previsão era de que o auxílio durasse três meses porque, em entendimento do Legislativo e Executivo, esse era o tempo que uma pandemia duraria por aqui — com base em experiências anteriores. “Como o Brasil é muito grande, a difusão se deu de forma diferente. Nós temos regiões que ainda estão na 8ª ou 9ª semana.”

No que diz respeito às irregularidades, o ministro da Cidadania relatou que, através do site, é possível denunciar quem recebe o pagamento de forma indevida. Ele atribuiu isso ao número grande de pessoas cadastradas e afirmou que a fiscalização está sendo melhorada. “Nós encontramos e pagamos 65 milhões de brasileiros. Esse número é difícil de ser mensurado, só dá para entender a dimensão dele quando falamos que é maior que uma Itália ou que equivale a uma Argentina e meia.”

Ele destaca que em pouco mais de 60 dias o governo federal foi capaz de “encontrar e pagar com alto grau de segurança” e que vai continuar aprimorando os processos no combate à corrupção. Onyx comparou que o sistema de pensões americano, considerado o mais seguro do mundo e espelho para o Brasil, demorou três décadas para ser concluído.