Onyx Lorenzoni diz esperar ‘ok’ de Bolsonaro para apresentar novo Bolsa Família

Em 2020, governo pagou R$ 330 bilhões para 69,3 milhões de brasileiros através do auxílio emergencial

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2020 08h45 - Atualizado em 16/12/2020 09h47
Edu Andrade/Estadão ConteúdoSegundo ele, a economia brasileira demonstrou um "vigor impressionante" mesmo diante da crise

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que há meios de garantir a ajuda aos brasileiros sem fazer a manutenção do auxílio emergencial. De acordo com ele, só está esperando o “ok” do presidente Jair Bolsonaro para que o Novo Bolsa seja anunciado até janeiro. As mudanças no já conhecido Bolsa Família devem beneficiar cerca de 20 milhões de pessoas. Ele disse trabalhar também com uma proposta de micro crédito digital produtivo para os 26 milhões de invisíveis que não constavam em cadastros anteriores e já estão bancarizados. Durante o ano de 2020 foram pagos R$ 330 bilhões para 69,3 milhões de brasileiros através do auxílio emergencial. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, o ministro da Cidadania ressaltou que muitas pessoas usaram este dinheiro para não apenas garantir a sobrevivência — mas também modificar a atividade produtiva e a fonte de renda. Segundo ele, a economia brasileira demonstrou um “vigor impressionante” mesmo diante da crise.

“No mês de maio, nós tivemos a maior exportação de grãos da história. De junho pra cá, todos os portos tiveram de 5% a 10% de aumento em relação ao ano passado. De julho pra cá, segundo a Receita Federal, o Brasil registrou o maior volume de notas fiscais eletrônicas da história. Diversos setores, o varejo e os serviços, tiveram crescimento extraordinário. Nos últimos três meses, esperando que em dezembro também, o Caged mostrou o emprego de carteira assinada crescendo no Brasil. O Brasil vai ter um bom Natal para o comércio, varejo e serviços. E esperamos um 2021 com um bom crescimento do PIB e da economia brasileira”, disse. Para ele, o equilíbrio defendido pelo presidente Bolsonaro entre “saúde e economia” conseguiu dar fôlego aos indivíduos e pequenas empresas. De acordo com Lorenzoni, o Novo Bolsonaro terá empregabilidade, uso da experiência digital e uso do mérito. “As pessoas entenderam como é importante tentar caminhar para o acréscimo de renda”, completou.