Operação Hipócritas: 24 pessoas viram rés por fraudes em perícias trabalhistas

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2018 07h35 - Atualizado em 24/10/2018 09h21
Marcos Santos/USP ImagensA Operação Hipócritas mostra que as ações criminosas aconteciam na região de Campinas e em São Paulo

A Justiça Federal tornou 24 pessoas rés em operação que rendeu nove denúncias, durante dois anos, sobre esquema de corrupção em perícias trabalhistas. A Operação Hipócritas mostra que as ações criminosas aconteciam na região de Campinas e em São Paulo.

O esquema, segundo a investigação do Ministério Público Federal, relacionava-se diretamente a processos trabalhistas em que os trabalhadores sofreram acidentes de trabalho ou alegavam ter adquirido doenças em decorrência de suas funções na empresa.

Para perícia médica, o juiz trabalhista nomeava um profissional de sua confiança, não integrante dos quadros do Poder Judiciário, que deveria examinar o trabalhador e, muitas vezes, fazia diligência no local de trabalho, para apresentar o seu laudo pericial.

A empresa e o trabalhador poderiam indicar médicos de confiança para acompanhar os trabalhos periciais na qualidade de assistentes técnicos.

A operação, então, mostrou que alguns desses assistentes ajustavam o pagamento de valores entre R$ 1,5 mil a R$ 4 mil por perícia para favorecer a parte interessada.

Segundo a investigação, o esquema vigorou pelo menos entre os anos de 2008 a 2016 e beneficiou empresas de pequeno, de médio e de grande porte, inclusive multinacionais, com faturamentos bilionários.

Os denunciados são acusados de corrupção passiva e ativa, falsa perícia e associação criminosa. As penas podem passar de 20 anos de prisão e pagamento de multa.

Os denunciados estão separados em nove processos que somam mais de 8 milhões de reais em pedidos de indenização pelos danos morais causados.

*Informações do repórter Fernando Martins