Megaoperação combate pedofilia online em todo o Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2017 08h57 - Atualizado em 20/10/2017 14h03
EFE/Will Oliver"Luz da Infância" pretende resgatar a dignidade das crianças

O Ministério da Justiça e a Polícia Civil realizam uma megaoperação nesta sexta-feira (20) para combater a pedofilia em todo o País.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, atualizou para 97 o número de presos da operação Luz na Infância, que já cumpriu 106 dos 178 mandados de busca e apreensão emitidos pelos tribunais de justiça estaduais. O número final de presos e mandados cumpridos será divulgado pelo Ministério da Justiça até o fim do dia.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) fez parceria com a Polícia Civil dos estados. A mega-ação, denominada “Luz da Infância” e classificada pelo Ministério da Justiça como “uma das maiores do mundo em combate à pedofilia”, ocorre em 24 Estados brasileiros e no Distrito Federal e envolve 1.100 policiais.

No Amapá e no Piauí, o trabalho não foi concluído a tempo da deflagração da operação, que envolveu as outras 25 unidades da Federação. O ministro afirmou que o trabalho continua e mais mandados podem ser emitidos nos próximos dias.

Dezenas de pessoas já foram presas em flagrante enquanto os agentes cumprem centenas de mandados de busca e apreensão de materiais com conteúdo de exploração sexual de crianças e adolescentes. As investigações agora vão apontar se os presos fazem parte de quadrilhas nacionais e internacionais ou se agiam sozinhos.

A Senasp informa que os alvos da operação foram identificados através de um trabalho de cooperação mútua realizado em parceria com a embaixada dos EUA no Brasil, no setor da Adidância da Polícia de Imigração e Alfandega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE).

Mais de 150 mil arquivos com conteúdo pornográfico de menores de idade foram encontrados pelas investigações.

Em São Paulo, a Luz da Infância cumpre 31 mandados de busca e apreensão na capital, Grande São Paulo e interior paulista. Cinco homens, um de São Bernardo do Campo, dois da Zona Norte da capital paulista e dois da Zona Sul, foram levados presos em flagrante para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os computadores dos cinco presos foram apreendidos. O foco da operação é o compartilhamento de fotos pela internet.

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão e também de prisão no Rio de Janeiro, especialmente na Baixada Fluminense e em São Gonçalo.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul divulgou sete prisões, enquanto o órgão de Goiás confirmou três. Um balanço da operação deve ser divulgado no final do dia.

“(O crime) está bem documentado, e com a maldade extra, porque os hackers conseguem esconder o seu arquivo criminoso dentro do seu laptop”, disse o ministro, explicando que uma das estratégias dos criminosos para se esconderem é armazenar o conteúdo pedófilo em computadores de outras pessoas.

Os presos são acusados de armazenar e disseminar o material na internet de produzir o conteúdo pedófilo.

Nome

O nome da operação é uma referência à ‘deepweb’ ou ‘web obscura’, ambiente online onde pedófilos costumam compartilhar materiais. Conforme o Ministério da Justiça, o nome sugere o teor bárbaro e nefasto dos crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes.

“A internet facilita esse tipo de conduta criminosa e, via de regra, os criminosos agem nas sombras e guetos da rede mundial de computadores. Luz na Infância significa propiciar às vítimas o resgate da dignidade, bem como tirar esses criminosos da escuridão para que sejam julgados à luz da Justiça”, diz a nota divulgada.

O governo diz que esta é a “maior operação de combate à pedofilia já realizada no mundo”.

Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo