Operador do esquema de propina de Crivella deixa presídio para cumprir prisão domiciliar

Rafael Alves deixou a cadeia entre a noite do último sábado e a madrugada de domingo, 28; ele estava preso desde

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2021 10h37
ESTEFAN RADOVICZ/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDOMarcelo Crivella e Rafael Alves foram presos durante a mesma operação

O empresário Rafael Alves, acusado de ser o operador do esquema de cobrança de propina e corrupção na gestão do ex-prefeito Marcelo Crivella, já está em sua casa cumprindo prisão domiciliar. Alves foi beneficiado por mais uma decisão polêmica do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. O operador deixou a cadeia entre a noite do último sábado e a madrugada de domingo, 28. Ele havia sido preso no fim do ano passado. O empresário foi detido em uma operação de Política e Ministério Público do Rio de Janeiro que mirou a gestão municipal.

Segundo as investigações, o prefeito da época Marcelo Crivella chefiava uma quadrilha, que cobrava taxa de propina de corrupção de empresas, empresários e prestadoras de serviço que tinham contrato com a cidade. O operador desse esquema é Rafael Alves. Ele jamais ocupou um cargo na gestão Crivella. No entanto, usava prédios e instalações da prefeitura para despachar. Também conseguiu emplacar o irmão dele, Marcelo Alves, como presidente da RioTur, a empresa de turismo do município do Rio de Janeiro. Alves e Crivella eram muito próximos e a investigação aponta que coube a ele cotar aliados e captar recursos para a eleição do ex-prefeito para a Prefeitura do Rio. Lembrando que Crivella também foi beneficiado por uma decisão de Gilmar Mendes, que derrubou a prisão domiciliar do político e também o autorizou a retirar a tornozeleira eletrônica.

*Com informações Rodrigo Viga