Oposição da Venezuela contesta busca em casa de tio de Juan Guaidó

  • Por Jovem Pan
  • 21/02/2020 07h27
EFEA companhia aérea Tap, que realizou o voo, também teve as operações suspensas na Venezuela por 90 dias

A oposição venezuelana considera ilegal a operação de busca, realizada nesta quinta-feira (20), na casa de Juan Marquez, o tio do presidente autoproclamado Juan Guaidó. Os advogados do piloto de 55 anos afirmam que foram barrados por agentes militares em frente a residência alvo da investigação.

Segundo os representantes dele, a ação tem como objetivo atacar Guaidó para forçá-lo a negociar. O líder da oposição é reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países.

A defesa de Marquez também acusa os agentes de tentar plantar evidências na casa dele. Ele está preso desde o último dia 11 de fevereiro, acusado de ter viajado de Portugal à Venezuela com explosivos no avião. Marquez acompanhava o sobrinho Guaidó após uma viagem aos Estados Unidos e a países da Europa.

A companhia aérea Tap, que realizou o voo, também teve as operações suspensas na Venezuela por 90 dias. Segundo o governo de Nicolás Maduro, a empresa permitiu a viagem com explosivos.

Pelas redes sociais, Juan Guaidó classificou a busca na casa do tio de “ditadura covarde” e de “farsa que ninguém acredita”. Ele também afirmou que não recuará nas ações — e que eles avançarão.

*Com informações do repórter Vinícius Moura