Oposição deverá ocupar vaga em Comissão que vai sabatinar Eduardo

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2019 06h19
Pablo Valadares/Câmara dos DeputadosPara evitar risco de empate na votação da indicação à embaixada brasileira em Washington, um 19º membro será escolhido para a sabatina

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, confirmou que a Comissão de Relações Exteriores da Casa, que vai sabatinar o deputado Eduardo Bolsonaro, ganhará um membro extra nos próximos dias. Atualmente, o colegiado conta com 18 senadores. Para evitar risco de empate na votação da indicação à embaixada brasileira em Washington, um 19º membro será escolhido.

O pedido de nomeação do novo membro será feito nesta terça-feira (13), após reunião com técnicos do Senado. Nos bastidores já se sabe que ela deve caber ao bloco formado pelo PT e pelo PROS, devido a acordos feitos no início do ano. Segundo senadores petistas, a tendência é que o novo membro seja do partido, o que significaria um voto contrário à nomeação do filho de Jair Bolsonaro como embaixador.

A indicação de Eduardo ainda não tem data certa para ser enviada ao Senado. Existem, pelo menos, mais treze indicações de cargos enviadas pelo Governo que ainda faltam ser analisadas. Davi Alcolumbre não adiantou se vai dar preferência à escolha de Eduardo.

Senadores governistas não falam abertamente em uma possível troca de membros na Comissão de Relações Exteriores para garantir uma maioria favorável à nomeação de Eduardo Bolsonaro tanto na sabatina como na votação. Porém, a estratégia ainda não é descartada.

Independente do resultado na Comissão, a palavra final cabe ao plenário. Lideranças do Senado tentam garantir um ambiente favorável à aprovação desde o início do processo.

*Com informações do repórter Levy Guimarães