Oposição não reúne quórum para votar impeachment de Abdo

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2019 07h12
Marcos Corrêa/Presidência da RepúblicaAcordo de Itaipu foi cancelado na semana passada

Depois de a oposição ter pedido, na última terça-feira (6), pelo impeachment do presidente Mário Abdo, parlamentares favoráveis ao chefe do Executivo do Paraguai se ausentaram de uma sessão nesta quarta-feira (7), fazendo com que não houvesse quórum necessário para discutir e votar o possível afastamento.

Os parlamentares contrários a Abdo pediram a que ele seja destituído do cargo por esconder informações de relevância pública sobre as negociações de Itaipu. Trocas de mensagens envolvendo o presidente divulgadas pela imprensa paraguaia indicam que ele foi pressionado pelo governo do Brasil a aceitar os termos sobre o acordo de energia, por mais que fossem prejudiciais ao Paraguai.

A assinatura do acordo, cancelado na última sexta-feira (2), gerou uma crise política no país, que custou os cargos do ministro das Relações Exteriores e do embaixador no Brasil, além de dois outros postos de trabalho.

O porta-voz da presidência do Brasil, Otávio do Rêgo Barros, afirmou que Jair Bolsonaro (PSL) prefere não se pronunciar sobre a publicação.

Além de, a oposição também pede o impeachment do vice Hugo Velásquez e do ministro da Fazenda, Benigno López. De acordo com a imprensa paraguaia, não existe apoio político para sustentar a aprovação do impeachment no Congresso.

*Com informações do repórter Renan Porto