Opositores eleitos no último domingo, na Venezuela, boicotam própria posse

  • Por Jovem Pan
  • 19/10/2017 07h25 - Atualizado em 19/10/2017 10h53
EFEOs cinco opositores venezuelanos eleitos entre os 23 estados não quiseram tomar posse em reação às supostas fraudes eleitorais

Assembleia Nacional Constituinte venezuelana juramentou nesta quarta-feira (18) os 18 governadores chavistas eleitos na votação de domingo.

Os cinco opositores eleitos entre os 23 estados não quiseram tomar posse em reação às supostas fraudes eleitorais.

Com isso, Maduro disse que eles serão impedidos de assumirem seus cargos.

Os resultados foram anunciados pelo Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, acusado de atuar em favor do governo, e claro não foram reconhecidos pela Mesa de Unidade Democrática, que é contra Maduro.

O deputado Freddy Guevara afirmou que todas as bases opositoras precisam se unir e fazer um plano de reorganização: “esta ação criminal que cometeram contra os nossos eleitores será revertida contra esse regime de ditadura. Agora não é o momento de nós, oposição, ficarmos brigando e sim de nos unirmos e pensarmos em na melhor estratégia”.

A Mesa da Unidade Democrática reiterou que os governadores eleitos só se submeterão ao mandato estabelecido na Constituição e nas leis.

E explicou que sua posição está no compromisso com mais de sete milhões de venezuelanos que votaram no plebiscito realizado em junho, que não foi reconhecido pelo poder eleitoral.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro, também não reconhece os resultados da eleição de governadores.

Se juntam a ele, os governos do Brasil e de mais 11 países das Américas críticos ao regime de Nicolás Maduro que pedem com urgência uma auditoria independente.

*Informações do repórter Vitor Moraes