Padres acusados de abusar de crianças surdas são julgados na Argentina

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2019 08h39 - Atualizado em 06/08/2019 10h34
EFEO padre argentino Nicola Corradi, de 83 anos, é acusado de abusar de menores em duas escolas para crianças surdas

A apuração do caso que abala a Igreja Católica teve início nesta segunda-feira (5). Dois padres, Corradi, de 83 anos e Horacio Corbacho, de 59, são acusados de abusar sexualmente de mais de 20 crianças surdas na Argentina, ao lado do jardineiro Armando Gómez, de 49 anos.

Os três teriam praticado os crimes de abuso infantil durante o período em que trabalharam no Instituto Antonio Próvolo, em Mendonça, uma escola voltada para crianças com deficiências auditivas. De acordo com as denúncias, os crimes começaram a acontecer por volta de 2004.

Além do assédio sexual, eles são acusados por corrupção de menores e maus tratos. A condenação pode chegar a até 50 anos de prisão. O julgamento, que acontece a portas fechadas, deve ouvir 43 testemunhas e 13 vítimas, e pode durar até dois meses.

O caso ganhou notoriedade pelo mundo quando veio à tona que existiam acusações semelhantes contra o padre Corradi em um segundo instituto para crianças surdas em Verona, na Itália.

O Instituto Antonio Próvolo encerrou as atividades em 2016, depois que começaram a surgir as denúncias.

*Com informações do repórter Renan Porto