Após pais retornarem ao trabalho, Defensoria de SP pede plano de cuidados para crianças

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2020 07h03 - Atualizado em 22/06/2020 08h21
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOO governo de São Paulo ainda não oficializou uma data para a volta às aulas, mas a expectativa é que o retorno aconteça de forma gradual a partir do segundo semestre

Com a reabertura do comércio, pais, escolas e a Defensoria Pública do Estado de São Paulo querem respostas do governo sobre como vão ficar os cuidados com as crianças. Em ofício enviado à gestão Doria, a defensoria recomenda que sejam apresentadas medidas para ajudar pais e mães que precisam voltar ao trabalho presencial e não tem com quem deixar os filhos, já que as escolas e creches ainda estão fechadas.

Entre os pedidos do órgão, está que o governo inclua, no chamado Plano São Paulo, a exigência que esses funcionários não possam ser prejudicados. A defensora pública Ana Carolina Schwann destaca, no entanto, que o ofício não pede um retorno das crianças à sala de aula.

O diretor da Associação Brasileira de Escolas Particulares, Arthur Fonseca Filho, lembra que as rotinas das famílias contam com o período em que a criança está dentro da escola. Já o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo, Benjamín Ribeiro da Silva, afirma que as mulheres chefes de família são as mais preocupadas com o impasse.

O governo de São Paulo ainda não oficializou uma data para a volta às aulas, mas a expectativa é que o retorno aconteça de forma gradual a partir do segundo semestre.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini